Asma e obesidade

Asma e obesidade

Diferentes hipóteses envolvendo fatores genéticos, ambientais, nutricionais, tipo de microbiota, estilos de vida, entre outros, procuram explicar a relação entre asma e obesidade. Leia abaixo a entrevista com o Dr. Fábio Kuschnir, diretor da ASBAI, onde ele explica que o desafio é entender como a obesidade influencia a asma e vice-versa.

 

Uma pessoa obesa tem mais propensão a desenvolver a asma?

Sim. Estudos de seguimento (longitudinais) mostram que, em geral, a obesidade precede a asma e que o risco de asma aumenta com a obesidade. 

 

Há levantamento de quantos pacientes com obesidade sofrem com a asma?

Estudos envolvendo dezenas de milhares de pacientes, inclusive brasileiros, de diferentes faixas etárias, demonstraram que aqueles com sobrepeso e obesidade apresentaram respectivamente 25% e 50% mais chance de ter asma. 

 

Tratar a asma em pacientes obesos requer um maior cuidado?

Sim, especialmente em adultos pode requerer mais atenção, principalmente em relação à gravidade do quadro clínico e resposta ao tratamento. 

 

O tratamento na criança com obesidade e asma é semelhante ao do adulto?

Sim, porém é sempre bom lembrar que crianças não são “mini-adultos” e a asma apresenta características clínicas e funcionais próprias da faixa etária. A maioria das crianças obesas com asma é constituída por alérgicos com padrão inflamatório pulmonar eosinofílico, característico da asma “alérgica”, típico da infância. Nestes casos, a maioria dos pacientes desenvolveu obesidade posteriormente, complicando uma asma pré-existente e são bons respondedores à terapia convencional com corticoides inalatórios.

 

A atividade física é recomendada para um paciente com obesidade e asmático?

Juntamente com a terapêutica adequada e a dieta, visando a redução do peso, um plano de atividades físicas é um dos pilares do tratamento da asma nestes pacientes. Estudos mostram que, isoladamente, o exercício aumenta a capacidade aeróbica, melhora o controle dos sintomas de asma e, consequentemente, a qualidade de vida.

 

Quais recomendações você pode passar a uma pessoa com obesidade e asma?

Consultar o alergista para um diagnóstico preciso e que ela seja assistido por uma equipe multidisciplinar constituída minimamente pelo médico especialista, nutricionista e profissional de educação física. Reduzir o peso por meio de uma dieta natural a base de frutas, vegetais e carnes magras (peixe) e fazer atividade física são muito importantes.

 

 

Fonte- Blog da Alergia


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *